sábado, 1 de outubro de 2016

OLHANDO ATRAVÉS DE UMA CEBOLA DE VIDRO

Texto de autoria de Alceu Natali com direito autoral protegido pela Lei 9610/98. LEIA O TEXTO AO SOM DA MÚSICA DO VÍDEO POSTADO NO FIM. Sem ela, a vida seria um erro (Friedrich Nietzsche)

Como é se sentir morta? Como é me fazer sentir como se eu nunca tivesse nascido? Agora que uma meleca amarela escorre de seus olhos de cadela toda fodida, O que mais a sardinha de semolina tem para salgar? O que mais a pinguim Hare Krishna tem para cantar? Agora que você está de mandíbula caída, Como é se sentir torta? Como é me fazer sentir como se eu nunca tivesse endireitado? Agora que você toma sol numa praia de areia de ferro fundido, O que te coça lá? O que sobra para você dar? Agora que você está de calcinha arriada, Você é uma puta sacerdotisa pornográfica, Você é uma puta cafetina eclesiástica, Você é uma puta sacristã pedófila, Você já não pode mais esconder seu baseado cauda de andorinha na sua pomba, E que lugar para se enfiar! Como é se sentir uma corta? Como é me fazer sentir como se eu nunca tivesse florescido? Agora que você é um turbante dobrado para trás, Agora que você só pode tapar buracos no mar, Agora que você deixou toda sua cebola catingar, Onde fica o próximo chiqueiro onde a porca vai emporcalhar? Você é uma puta sacerdotisa pornográfica, Você é uma puta cafetina eclesiástica, Você é uma puta sacristã pedófila, Você já não pode mais fechar a porta que o ladrão te arromba, E que lugar para se roubar!