terça-feira, 27 de setembro de 2016

ESTRELA MATUTINA

Texto de autoria de Alceu Natali com direito autoral protegido pela Lei 9610/98. LEIA O TEXTO AO SOM DA MÚSICA DO VÍDEO POSTADO NO FIM. Sem ela, a vida seria um erro (Friedrich Nietzsche)

Finalmente você chegou, Como chega a quadra de cada ano de espera, De cada dia infindável que minha saudade de você contou, Dias de folhas caídas, Pela mulher que sempre permanece bonita, Que desconhece o outono da vida, E se perde nos anos verdes que retém, De noites estreladas, Pela mulher de olhos sempre reluzentes, Que rejuvenesce através das primaveras, E relativiza o tempo morto que me detém, Vem com a noite iluminada de inverno, E com o dia ensolarado de verão, Abre espaço para mais uma estação em minha alma, Com a suavidade de seus lábios que me marejam de emoção num sol-posto de paixão, E com o esplendor do seu olhar que me serena a aflição na lua cheia de sua calma, Finalmente você chegou, Quando vinha acordando a manhã silenciosa, Lírio-do-vale oriental e resplandecente, Círio-de-nossa-senhora luzidia e gloriosa, Estrela Vésper deste seu jovial madrugador de coração errante, Mata minha nostalgia com esses olhos verdejantes de esplendor, Como prados que se deitam aos nossos pés sob um firmamento convidativo para nos acomodar, Enquanto Vênus se despede no horizonte levando um pouco do nosso ardor, Mata minha nostalgia com essa boca ruborizada de fervor, Como rosas que exalam seus aromas aos nossos corpos sobre uma gramado altivo para nos perfumar, Enquanto o sol se levanta acima das montanhas para nos testemunhar, Você é tudo isso, E faz de mim um Luiz Vieira a  cantar, Você é isso, Estrela matutina, Luz que descortina um mundo encantador, Você é isso, Parto de ternura, Lágrima que é pura, Paz do meu amor.

video