sábado, 1 de outubro de 2016

MITOLOGIA JUDAICA: O CALENDÁRIO BABILÔNICO E O MITO DA CRIAÇÃO: trecho de palestra sobre mitologia judaica ministrada em São Paulo



Texto de autoria de Alceu Natali com direito autoral protegido pela Lei 9610/98

Durante séculos, judeus e cristãos se gabaram de que a história da origem do mundo descrita na GÊNESIS, um dos livros no Antigo Testamento da Bíblia, foi não apenas INSPIRADA por ‘DEUS’ como também não devia nada às escrituras de outras civilizações. No primeiro capítulo da GÊNESIS, a criação do mundo é assim contada:

1 No princípio criou Deus os céus e a terra.
2 A terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo, mas o Espírito de Deus pairava sobre a face das águas.
3 Disse Deus: haja luz. E houve luz.
4 Viu Deus que a luz era boa; e fez separação entre a luz e as trevas.
5 E Deus chamou à luz dia, e às trevas noite. E foi a tarde e a manhã, o dia primeiro.
6 E disse Deus: haja um firmamento no meio das águas, e haja separação entre águas e águas.
7 Fez, pois, Deus o firmamento, e separou as águas que estavam debaixo do firmamento das que estavam por cima do firmamento. E assim foi.
8 Chamou Deus ao firmamento céu. E foi a tarde e a manhã, o dia segundo.
9 E disse Deus: Ajuntem-se num só lugar as águas que estão debaixo do céu, e apareça o elemento seco. E assim foi.
10 Chamou Deus ao elemento seco terra, e ao ajuntamento das águas mares. E viu Deus que isso era bom.
11 E disse Deus: Produza a terra relva, ervas que deem semente, e árvores frutíferas que, segundo as suas espécies, deem fruto que tenha em si a sua semente, sobre a terra. E assim foi.
12 A terra, pois, produziu relva, ervas que davam semente segundo as suas espécies, e árvores que davam fruto que tinha em si a sua semente, segundo as suas espécies. E viu Deus que isso era bom.
13 E foi a tarde e a manhã, o dia terceiro.
14 E disse Deus: haja luminares no firmamento do céu, para fazerem separação entre o dia e a noite; sejam eles para sinais e para estações, e para dias e anos;
15 e sirvam de luminares no firmamento do céu, para alumiar a terra. E assim foi.
16 Deus, pois, fez os dois grandes luminares: o luminar maior para governar o dia, e o luminar menor para governar a noite; fez também as estrelas.
17 E Deus os pôs no firmamento do céu para alumiar a terra,
18 para governar o dia e a noite, e para fazer separação entre a luz e as trevas. E viu Deus que isso era bom.
19 E foi a tarde e a manhã, o dia quarto.
20 E disse Deus: Produzam as águas cardumes de seres viventes; e voem as aves acima da terra no firmamento do céu.
21 Criou, pois, Deus os monstros marinhos, e todos os seres viventes que se arrastavam, os quais as águas produziram abundantemente segundo as suas espécies; e toda ave que voa, segundo a sua espécie. E viu Deus que isso era bom.
22 Então Deus os abençoou, dizendo: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei as águas dos mares; e multipliquem-se as aves sobre a terra.
23 E foi a tarde e a manhã, o dia quinto.
24 E disse Deus: Produza a terra seres viventes segundo as suas espécies: animais domésticos, répteis, e animais selvagens segundo as suas espécies. E assim foi.
25 Deus, pois, fez os animais selvagens segundo as suas espécies, e os animais domésticos segundo as suas espécies, e todos os répteis da terra segundo as suas espécies. E viu Deus que isso era bom.
26 E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; domine ele sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu, sobre os animais domésticos, e sobre toda a terra, e sobre todo réptil que se arrasta sobre a terra.
27 Criou, pois, Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.
28 Então Deus os abençoou e lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos; enchei a terra e sujeitai-a; dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu e sobre todos os animais que se arrastam sobre a terra.
29 Disse-lhes mais: Eis que vos tenho dado todas as ervas que produzem semente, as quais se acham sobre a face de toda a terra, bem como todas as árvores em que há fruto que dê semente; ser-vos-ão para mantimento.
30 E a todos os animais da terra, a todas as aves do céu e a todo ser vivente que se arrasta sobre a terra, tenho dado todas as ervas verdes como mantimento. E assim foi.
31 E viu Deus tudo quanto fizera, e eis que era muito bom. E foi a tarde e a manhã, o dia sexto.

Este texto foi escrito há cerca de 2.500 anos atrás, logo após a libertação dos judeus do cativeiro na Babilônia. Neste texto, Deus é chamado de ELOHIM e tudo por ele criado tem a seguinte sequência; Céu/Terra/Luz/Firmamento/ Terra Seca/Relva e Árvores/ Luminares/Monstros Marinhos/ Pássaros/Animais Domésticos, Seres Rastejantes, Animais Selvagens/ Homem e Mulher. Na mesma GÊNESIS, nos versículos 4 a 22 do capítulo II, há uma segunda versão da criação cuja sequência difere da primeira. Provavelmente, esta segunda versão foi escrita antes do exílio na Babilônia, e nela deus é chamado de Yahweh. Para descomplicar, um editor juntou os dois nomes num só Yahweh Elohim (O SENHOR DEUS). Veja as diferenças na sequência da criação entre as duas versões:

VERSAO 1/ VERSAO 2
Céu/Terra
Terra/Céu
Luz/Névoa
Firmamento/Homem
Terra Seca/ Árvores
Relva e Árvores/Rios
Luminares/ Animais Domésticos e Selvagens
Monstros Marinhos/Pássaros
Pássaros/Mulher
Animais Domesticos, Seres Rastejantes, Animais Selvagens/?
Homem e Mulher/?

Os judeus e os cristãos sempre se sentiram incomodados com estas contradições e tentavam, a todo custo, dar uma explicação lógica para elas. Alguns judeus SABICHÕES fizeram um esforço danado para provar que DEUS fez uso de uma LÓGICA sistemática e disseram que DEUS criou uma SIMETRIA entre o primeiro e o quarto dia, o segundo e o quinto dia e o terceiro e o sexto dia. Segundo os SABICHÕES, a simetria pode ser assim percebida: 

PRIMEIRO DIA: LUZ E SUA SEPARAÇÃO DA ESCURIDÃO/QUARTO DIA: LUMINARES, SOL, LUA, ESTRELAS, SEPARAÇÃO DO DIA E DA NOITE E DAS ESTACÕES;

SEGUNDO DIA: CÉU, SEPARAÇÃO DAS ÁGUAS SUPERIORES DAS INFERIORES/QUINTO DIA: PÁSSAROS E PEIXES;

TERCEIRO DIA: TERRA SECA, RELVA/SEXTO DIA: ANIMAIS SELVAGENS, HOMEM, ANIMAIS RASTEJANTES.

Eu não sei se estes judeus, assim como todos os cristãos, escrevem estas fantasias por PURO FANATISMO RELIGIOSO, ou por PURA INGENUIDADE, ou por PURA FALTA DE CULTURA, ou por PURA MALANDRAGEM, ou por TUDO ISSO JUNTO. Digo isso porque todo o mundo acadêmico sabe que o DEUS da Bíblia foi inventado pelos homens; que tudo que esta escrito na Bíblia são mitos criados pelos homens; que até mesmo estes mitos criados pelos homens, como o mito da criação, não são nem mesmo invenções originais dos judeus, mas apenas plágios das invenções de outras civilizações. Vamos, portanto, direto à verdade sobre o mito da criação.

Quem inventou o mito da criação do mundo foram os Acádios: Babilônios e Assírios. O mais antigo destes textos, chamado Enuma Elish, foi escrito há 4.000 anos atrás (1.500 anos antes da Bíblia ser escrita) Um outro texto mais recente, escrito por Babilônios e Sumérios, foi datado de cerca de 2.500 anos atrás, como um prólogo para uma encantação de purificação do templo.

Os judeus copiaram o mito da criação deste texto Babilônio, inspirados pelo TEXTO BABILÔNIO ENUMA ELISH, e aquela LÓGICA SISTEMÁTICA DE DEUS vai por água abaixo quando se descobre que a sequência da criação foi feita com base na ordem dos deuses planetários Babilônios do seu calendário semanal. Aliás, para quem não sabe, o símbolo sagrado do judaísmo chamado de Memora, o Candelabro de SETE pontas, foi inventado com base nestes mesmos SETE deuses planetários Babilônios.

Vejam como é fácil perceber a contradição dos judeus ao arrogaram para si o mérito de terem escrito a historia do mundo INSPIRADOS POR DEUS. Lembrem-se que, enquanto eles montam a sequência de criações, eles estão seguindo o calendário semanal Babilônio de sete deuses planetários.

Segundo os judeus, no primeiro dia, DEUS criou a LUZ; no segundo dia, o CÉU. Se houvesse uma sequencia LÓGICA, no terceiro dia DEUS teria criado os LUMINARES (sol, lua e estrelas). No entanto, DEUS quebra a sequência, interrompendo a criação do universo e cria, no terceiro dia, a TERRA SECA, A RELVA E AS ÁRVORES; em seguida, no quarto dia, DEUS retoma a criação do universo e cria o SOL, a LUA e as ESTRELAS. Sabem porque há esta contradição na SEQUÊNCIA LÓGICA DE DEUS? Porque no calendário Babilônio, o terceiro dia é o dia do deus PASTORAL chamado NERGAL, simbolizado por um leão com cabeça de homem e asas. Assim, seguindo à risca o calendário babilônio, os judeus deixam o universo de lado, e voltam-se para a terra, para o pastoral. E como no calendário Babilônio o quarto dia é o dia do deus da astronomia, chamado NABU, os judeus, sempre seguindo à risca o calendário babilônio, deixam a terra e retomam o universo e criam, no quarto dia, a LUA, o SOL e as ESTRELAS. Simples, não? Os judeus eliminaram o sétimo deus planetário porque resolveram criar um feriado semanal, o Sabá, e deram um dia de descanso para um DEUS BABILÔNIO.