quarta-feira, 21 de setembro de 2016

MENINO TRAPO


Texto de autoria de Alceu Natali com direito autoral protegido pela Lei 9610/98. Clique no link abaixo e leia o texto ao som de uma música apropriada para o mesmo

Menino trapo, Perde-se na memória do tempo nos meus abraços, Na sua nova morada seu mesmo cuidado, Vem do bem que mais se enseja, Do amor que mais se procura, Foram-se as noites de folguedos a olhos fechados, De segredos guardados pelos astros, De teu conjurador as palavras emudeciam, As lembranças que na alma lhe moravam, Foi-se a menina de corpo pequeno e malfeito, Vistosa na janela do espírito, Nas flores e folhas que enchem o peito, Com uma ave-maria rezada a medo, Menino trapo, Encontra-se no desconhecimento da história nas minhas inspirações, Na sua nova jornada sua América descoberta, Vai do saber que não apenas se escreve, Do privilégio de ler primeiro o que a mente cria, Achegam-se os belos dias que aproveitam-se de inocentes, De maneiras acanhadas de emoção, De teu coração as batidas palpitam, As sombras da fé que descem ao fundo de sua ingenuidade, Chegam as crianças de faces coletivas e desapercebidas, Nos bilhetes e mãos acenadas, Sem uma malícia imposta por um sacrifício hediondo.
video