sábado, 1 de outubro de 2016

A COLHEITA DE PERSÉFONE NO MUNDO



Texto de autoria de Alceu Natali com direito autoral protegido pela Lei 9610/98. LEIA O TEXTO AO SOM DA MÚSICA DO VÍDEO POSTADO NO FIM. Sem ela, a vida seria um erro (Friedrich Nietzsche)
A aglutinação não exala perfume nem se dobra ao vento, Tem voracidade por sangradura que se impregna no ar sem brisa, O alvoroço não está nos prados alinhados, Mas em intricados e sinuosos caminhos de pedras, Para se ouvir o ofego da única flor é preciso apartar-se da algazarra animalesca e olhar do alto, A movimentação abaixo é lenta, ardilosa e sorrateira, Pontuando o sofrimento da divindade que veste carne humana, Resignada com o destino imposto pela sua própria criação, Arrasta-se pesadamente sob escárnio mundano e lamentação celestial, Cresce a indignação pelo impensável e implacável, Assomam-se e elevam-se as lamurias à altura de um cadafalso, Prostradas e ultrajadas sua glória e onipresença, Rende-se às garras de seus algozes e ao canto consolador dos que lhe acompanham na dor e no silêncio, Mãe nossa que estais no mundo, Vingado seja vosso martírio, Voltai a nós vosso poder, Longe da terra e próximo das alturas, Para vossas pétalas arrancadas aos pares, Duplas vibrações de mirra e aloés, Para vosso broto desnudo e exposto à humilhação, Um bálsamo de nardo da Índia onde fostes ungida por mãos santificadas, Para vosso último suspiro de solidão e abandono, Nossa boa vontade para vos receber na paz que cultivastes nos jardins do universo, E assim está consumada vossa colheita neste orbe.


video