sexta-feira, 30 de setembro de 2016

AQUA VELVA



Texto de autoria de Alceu Natali com direito autoral protegido pela Lei 9610/98. LEIA O TEXTO AO SOM DA MÚSICA DO VÍDEO POSTADO NO FIM. Sem ela, a vida seria um erro (Friedrich Nietzsche)


O dirigente da escola é uma assombração que sempre aparece num dia de espanto, É uma toupeira mental, Beligerante com a cidadania, Capacho quadrado da ditadura, Carrasco pós era da ajoelhação no milho, Do burro no canto frontal da sala de costas para a classe, Dado a sentar a pua naqueles que se mostram contrários às suas regras, Incentivador dos professores a colocar rebeldes num corredor polonês, Pagar irreverências com um número excessivo de abdominais, Pagar faltas com um número excessivo de páginas com a mesma lição, Com o mesmo desenho, Com os mesmos números, Que torturam, Mas não ensinam, Castigos dos quais ninguém está livre, A não ser da perseguição aos comunistas porque somos jovens demais para fazer política, Mas a efervescência da juventude causa ciúmes e afronta moral, E se vê obrigada a estudar com calças bregas e largas e cabelo americano curto, E Pete diz que esta gente lhe faz sentir diminuído com sua simples presença, Lhe faz querer morrer antes de envelhecer, Esta gente me faz sentir jubilado, Mas tenho medo da morte e esnobo-a vaticinando que chegar aos 60 já está bom demais, E com as periquitas não é diferente dentro da instituição, Mas fora dela elas são minas de 16, Passando por 26, Forradas de meia de seda goela abaixo, Regurgitando baforadas de Holywoods, Ministers e Bagulhos, Soluços de Cuba Libre e Hi-Fi, Tentadores esconderijos de sexo, Lançadoras de perfumes para cheirar, De minissaias generosas, Acompanhando-nos nos jogos e nas baladas, Mas John e Paul ficam tristes porque a menina de preto gosta de outro, E eu, como Pete, Não me importo se a minha está dançando com meus amigos, Posso sair à  luz, Deixá-la com a turma, The kids are alright, São psicodélicos, E com ela está tudo tudo azul, Nos olhos, Nos cabelos, Nas roupas, Na Aqua Velva, Por isso espero que os deuses se esqueçam da minha insolência, Como se esqueceram da de Pete, Pois acabo de chegar aos 64, Continuo nos 60, E quero morrer só depois de mais envelhecer, Ainda quero perder o juízo nos ônibus das 19:15, E falar como Pete falava ainda antes dos 40, Ando, Não corro, Falo manso, Não saio atirando, Nem voando, Cambaleio, Mas não choro, Te cozinho, Mas não te abuso, Apenas te olho, Mas não te escancaro, Não te canso, Te trilho, Aperto o passo, Sinto dor, Me exercito, Sem pressa, Patético, Sem musculatura, Salto, Mas não danço, Baqueio, Mas me seguro, E no fim acabo te pegando, Mina, Porque minha geração ainda não acabou, Quem é dos 60 merece ir até os 69.


I´M GONNA GET YA ANYWAY