sábado, 24 de setembro de 2016

USUFRUTUÁRIOS PROVERBIAIS

Texto de autoria de Alceu Natali com direito autoral protegido pela Lei 9610/98. LEIA O TEXTO AO SOM DA MÚSICA DO VÍDEO POSTADO NO FIM. Sem ela, a vida seria um erro (Friedrich Nietzsche)

Sou amigo de verdade quando estou em dificuldade, E nela, Meu suicídio seria seu alívio, Tenho um amigo de mentira que não me elogia na intimidade e me critica na coletividade, E nela, Minha morte não lhe trará nenhuma sorte, Ele sabe com quem ando e me diz que sabe o que tramo, Ele pensa, Mas minha crença não será cabeça para sua sentença, Então rezo, Ao padre, médico e advogado, Falo meia verdade, De minha confissão, Minha depressão, Minha porta de prisão, Só fofocas cheias de mordacidade, Continuo rezando, Mas de hora em hora, Deus piora, E durmo sem fome porque sou daqueles que ainda chora, Deus não me dará cem anos de perdão, Meus assaltos só vitimam honestos incautos, Sou ladrão da planície, Roubo e sou roubado pelo planalto, Por isso nunca receberei deles qualquer indulto, Sou apenas um verme cuja mera existência lhes é um insulto, Sou um usufrutuário de bens alheios, Canalha me foi dado como alcunha, Mas ninguém conhece meus anseios, No jogo da corrupção, Não passo de um gandula, Criminosos assaltam minha casa, Mas minha câmera não os filma, A dor desta mulher morta dura até à porta, E para ela sou o que menos importa, Mas ainda assim ela promete logo me pegar, Porque a mentira tem perna curta, Mas minha verdade é longa e ninguém a furta, Deus retruca e diz que a ocasião me fez ladrão, E emenda: Remenda teu pano, Durará mais um ano, Remenda outra vez, Durará mais um mês, Torna a remendar, Para então se acabar, E, Em respeito a ele, Recito os dez mandamentos: Um é masturbação de um caçador de marajá sem alvará, Dois uma estaca e um patíbulo preparando uma cama para prostíbulo, Três sexo a três, Em cima, Em Baixo, No meio, Ao gosto do freguês, Quatro troca de casais com manutenção dos desajustes fiscais, Cinco Deus que tudo vê e se diverte, E não se mete, Seis suingue dinamarquês entre o supremo, O congresso e de quem for a vez, Sete são os anões que estrupam a verde e amarela todos os dias sem limparem as ejaculações, Oito são as vaginas onde o crime organizado e do colarinho branco molham o biscoito, Nove a última gota d'água servil prestes a transbordar o copo da desobediência civil, Dez orgia dionísica promovida pelo sumo governante e transformando um pais num inferno de Dante.

video