sábado, 1 de outubro de 2016

AOS PAIROS

Texto de autoria de Alceu Natali com direito autoral protegido pela Lei 9610/98. LEIA O TEXTO AO SOM DA MÚSICA DO VÍDEO POSTADO NO FIM. Sem ela, a vida seria um erro (Friedrich Nietzsche)

Sempre entreparo, Hesito sobre que satisfação posso ter, Alheia à realidade que no sambaqui do outro lado da estrela polar cai no esquecimento e não me resolve, Ainda procuro estar no melhor dos mundos, Detenho-me, Aos pairos entre a África e a Índia, Entre vir do hemisfério norte nidificar em meu torrão, Em buracos, Nos barrancos, Em ocos de paus, E apenas fazer flores, Quinquilharias e até ninhos, Em todas habitações humanas, Onde quer que elas estejam, Impacienta-me a demora do sol baixar sob o horizonte, E apressada lá vou chamar as luas de Júpiter, De Saturno e de outras terras que ainda não me enxergam, Por este universo afora, E quando a escuridão me envolve, Solto seus braços, Salto em queda livre pelo vórtice de um sonho que pertence a outrem, Até chegar ao fosso que se fecha ao redor de minha aura, Ao longo de minhas estradas da vida percorridas, E do alto você surge como o grande espelho que reflete sua imagem perdida, Com esta mulher de longo, Abraçados num bailado por horas esquecidas, Esta mulher suspensa no ar, Como se você tivesse mãos invisíveis que me seguram acima do chão, E os meus mais descomunais de todos os esforços, Com os olhos e ouvidos, Mal conseguem o mais leve movimento, A câmera mais lenta, Tudo paira, Como uma névoa sutil acima dos pântanos, No seu tempo misterioso que parece estancar a noite, No seu silêncio de extensão indefinida que parece pairar a alma de todas as gerações mortas, Assim, Indiferente à felicidade, E conformada com o indeterminismo de sua existência, Sinto a aproximação de inexoráveis abutres, A sobrevoar-me lentamente, A farejar-me o corpo de uma cor, A daltonizar minha consciência.

video