sábado, 1 de outubro de 2016

FLUIDEZ

Texto de autoria de Alceu Natali com direito autoral protegido pela Lei 9610/98. LEIA O TEXTO AO SOM DA MÚSICA DO VÍDEO POSTADO NO FIM. Sem ela, a vida seria um erro (Friedrich Nietzsche)
Um envelope carregado de torpedos da alma se desdobra ao sabor do vento inquieto rodopiando dentro de uma caixa de correio e saindo deslizando, estabanado, resvalando nos pensamentos que encontra pelo caminho à deriva no céu, refletindo milhões de sóis, e um deles desce à superfície, abaixo d’água, como miragem da lua iluminando o caminho feito lanterna de fulgor azul tremulante, do alto mar até a praia, da nascente do riacho até o rio caudaloso, e sua mente flutua correnteza abaixo com seu pássaro que não sabe nadar, desarmando todos os aforismos, rendendo-se ao vazio onde nada é real, onde nada faz sentido, onde os movimentos e as emoções não têm a mesma forma, onde tudo é seguro e fluídico, onde tudo é amor, paz de espírito e luz, onde do amanhã nada se sabe, exceto que não se morre e que suas preciosas posses já não te consomem mais, então você ouve seu pássaro cantar que sabe o que é estar fora da matéria, sentir-se como se nunca tivesse estado nela, e ele te alça num voo que seu coração sempre procurou, transcendendo-o, transportando-o para fora do seu ser, de seu isolamento e da sua alienação, para um despertar de seu verdadeiro interior, sua conexão mágica e em êxtase, transformando-o num habitué das viagens astrais, te ajudando a por sua busca no lugar certo, te deixando confuso, mas arrebatado e real, limpando sua vida, pondo você em contato consigo mesmo, pondo seus pés no chão do universo, dando-lhe uma sensação de unidade indivisível, uma entidade cósmica, tornando-o autêntico e autoconfiante, ligando-o ao algo que está muito além de você, e é neste além que vai parar um envelope.