sábado, 1 de outubro de 2016

INOCÊNCIA

 Texto de autoria de Alceu Natali com direito autoral protegido pela Lei 9610/98. LEIA O TEXTO AO SOM DA MÚSICA DO VÍDEO POSTADO NO FIM. Sem ela, a vida seria um erro (Friedrich Nietzsche)

Que saudades tenho, Da aurora de minha vida, Da minha infância esquecida, Que os anos não me trazem mais, Aprendi a chorar jovem demais, E agora vivo de derramar lágrimas com seu canto, Com sua cena de amor, Com a Julieta shakespeariana, De manso e no íntimo, Às escondidas, Todas as poupadas e acumuladas, Durante aqueles tempos plácidos e felizes, Saio de casa à noite, Vejo as estrelas brilhando por trás dos ventos, Minha mente cruza oceanos polares de verão, E os horizontes parecem acenar para mim, Marcando o espaço entre os dias, Morrendo as primeiras horas da manhã, Diluviando luz que cai dos céus. Eis um novo dia, Eis um novo sol, Ouço trombetas soarem, Convocando nuvens de euforia, Que em círculos se formam, Desaguando, Sobre mim, Que mais sóis conto, E em você descendo em anos, Sempre espírito, E fulgor, Eu sempre a tristeza, Romeu tem poucas chuvas, Uma vida por viver, Volto para casa, Com bruma cerrada, E aguaceiro de cordas, O simples céu tapado não me faz desistir de ainda ser feliz, Ter o eterno sonho da alma desterrada, Sonho que me traz ansiosa e embevecida, Como uma hora feliz sempre adiada, E que parece nunca chegar em toda vida.