sexta-feira, 30 de setembro de 2016

INSTINTO ANIMAL

Texto de autoria de Alceu Natali com direito autoral protegido pela Lei 9610/98. LEIA O TEXTO AO SOM DA MÚSICA DO VÍDEO POSTADO NO FIM. Sem ela, a vida seria um erro (Friedrich Nietzsche) 

A vida é a hora da onça beber água, E meus dias são sempre de Diana, Desde o canto do galo anunciando o alvorecer e alimentando a caça para a engorda, Até o bando de cães que ladram e alarmam o meu ganha-pão no entardecer, E o uivo do lobo que angustia e entristece as altas horas colocando as preias de sobreaviso, Não tenho estoicismo capaz de reprimir minha paixão, Só um pouco de epicurismo para conservar minha sensualidade e minha luxúria, Mas nada de sossego de espírito, Meu instinto convulsiona minha alma e transforma todos meus iguais em potenciais inimigos, Alugados, Jurados, E públicos, Sem distinção, Não sou mera quimera, Nem produto de sua imaginação, Não tenho cabeça de leão, Nem corpo de cabra, Nem cauda de dragão, Não sou uma esfinge, Nem alada, Tenho apenas complexão física animal e cabeça humana como as suas, Não existem dias meus e seus, Somente aqueles que a natureza nos concedeu, E nela vence a mais forte, Nela perde a mais fraca e a que não tem sorte, Nela você resiste até que outra como eu sentir mais fome, E tirando todas estas palavras enfadonhas e supérfluas, Você não é diferente de mim, Vive e deixa morrer, Por dever, Para se proteger, Por instinto de conservação, Para sobreviver, E até mesmo por prazer.