quinta-feira, 27 de abril de 2017

DESTE LADO DA VIDA

 Texto de autoria de Alceu Natali com direito autoral protegido pela Lei 9610/98. LEIA O TEXTO AO SOM DA MÚSICA DO VÍDEO POSTADO NO FIM. Sem ela, a vida seria um erro (Friedrich Nietzsche)


O mundo inteiro passa por aqui todos os dias. De 5 a 6 vezes. A maioria não se lembra de nada. Muitos guardam alguns fragmentos de suas visitas e logo os esquecem. Outros se entusiasmam com o que retiveram em profundidade. Esforçam-se para recapitular suas experiências, mas estas acabam sendo relativizadas, e depois de um certo tempo eles desistem. Poucos são bem sucedidos, e conseguem dominar os caminhos que os trazem para cá. Eles são bem mais felizes que o resto do mundo, aliás, devo ressaltar, eles são os únicos seres humanos felizes. Eles vêm a este lugar com muita frequência, mas ainda podem ufanarem seus átomos em contentamento infinito se aprenderem a substituir, permanentemente, a vida ilusória que levam na superfície da terra, pelo esplendor indescritível e sem limites que podem vivenciar aqui. Eles podem se tornar deuses, e sempre que faço menção a este objeto de culto e desejo ardentes, que se antepõe a todos os demais, não resisto à tentação de florear um pouco sobre o sentimento de estar onde estou: Eles podem beber perfumes, na flor silvestre que embalsam os ares. Entre a maioria desventurada deste planeta, exceção feita a uma minoria que injustamente rouba do pobre para viver melhor, embora tenha nascido igualmente já condenada pela natureza, há aqueles vãos como sombras que passam, que consomem muitos anos aventurando ao incógnito suas fragilidades, entregando-se a utopias para iludir suas desgraças do cotidiano. Um exemplo, é um astrônomo alemão que diz estar prestes a descobrir como viajar na velocidade da luz. Na verdade ele quis dizer 99% da velocidade da luz, uma vez que ela é absoluta e ninguém conseguirá atingi-la em 100% com uma máquina. Ela percorre o espaço a quase 300 mil quilômetros por segundo. Este germânico anseia por uma futura odisseia à estrela Vega, situada a cerca de 25,3 anos-luz da terra. Não esqueçam vocês que ano-luz não é uma medida de tempo, mas de distância. Um ano-luz equivale a quase 10 trilhões de quilômetros. Este cientista calcula, com razão e exatidão, que levariam 3,6 anos-luz para chegar em Vega, deslocando-se a uma velocidade constante de 99% da luz. Vejam abaixo como se calcula o tempo de viagem a Vega:


antes de prosseguir, aqui vão algumas observações: a) Vega está a cerca de 25,3 anos-luz da terra, mas como se considera 99% da velocidade da luz, a distância aumenta para 25,6 anos-luz; b) As letras yrs são uma abreviação da palavra anos em inglês; c) O tempo real de viagem resultante desta equação é de 3,555, mas foi arredondado para 3,6 somente para facilitar o raciocínio. Se alguém chegasse a Vega, talvez descobrisse pouca coisa além do que já se conhece por meio de geringonças como o hubble. Por outro lado, o viajante poderia colher amostras do disco de poeira que circunda Vega. Isso ajudaria a comunidade científica a definir se este anel de poeira é um protótipo de planeta em formação ou apenas destroços de um possível planeta-anão que se chocou com a estrela. Uma vez terminada a missão Vega, o astronauta teria que viajar mais 3,6 anos-luz para retornar ao nosso planeta. De acordo com a comprovada Lei da Relatividade de Einstein, o tempo anda muito mais devagar para quem está em movimento constante na velocidade da luz em relação a uma pessoa estática no solo. O cosmonauta passaria 7,2 anos viajando pelo espaço, mas, para quem está na terra, o tempo decorrido seria exatamente aquele calculado para uma viagem de ida e volta a Vega: 50,6 anos. Quando chegasse à terra, o astronauta teria envelhecido apenas 4 anos, mas nosso planeta teria avançado 50 anos no futuro. Os colegas de profissão do astronauta já teriam, possivelmente, morrido, e seria possível, também, que seus substitutos o surpreendessem com novas informações sobre Vega obtidas com super telescópios de última geração, muito superiores ao hubble, desenvolvidos nos últimos 50 anos, e que perderiam pouco para as observações de Vega feitas in loco. Conclui-se, portanto, que o cosmonauta gastaria mais de sete anos de sua vida trancado dentro de uma nave, sem ter o que fazer, a não  ser esperar, esperar e esperar, tendo como compensações apenas o fato de ter envelhecido somente 4 anos nos últimos 50, e poder desfrutar de um estilo de vida e de vantagens tecnológicas muito mais avançadas e emocionantes em seu lar antes dele ter partido para Vega. O retorno poderia ser considerado uma viagem no tempo, uma viagem à terra a 50 anos no futuro. No entanto, o conceito de viagem no tempo não seria muito adequado neste caso, porque não se trataria de uma viagem da terra para a terra, mas de uma viagem à terra a partir de outro sistema solar. Este cientista alemão poderia considerar uma viagem espacial muita mais útil para a ciência e justificar o altíssimo custo de uma odisseia interestelar. Por exemplo: visitar a estrela anã vermelha Gliese 1132, localizada a 39 nos-luz da terra, em torno da qual orbita um planeta rochoso, de tamanho similar ao nosso, descoberto por via indireta e batizado com o nome GJ 1132b. O cientista passaria pelo mesmo tédio capaz de levar à loucura: ficar  mais de 10 anos enclausurado numa espaçonave, sem nada para fazer, a não ser esperar, esperar e esperar, a menos que conseguissem coloca-lo em hibernação artificial comum até o seu destino final. Ao chegar em GJ 1132b, ele poderia se deparar com um planeta semelhante a Marte, sem vida, com muitas montanhas, rochas e com o que poderia ser antigos leitos de rios e bacias de oceanos. O cientista colheria rochas deste planeta e as traria de volta à terra. Daria melhores contribuições à ciência: novas evidências sobre como os planetas são formados e porque a vida não vinga em muitos deles, e a constatação de que qualquer tipo de estrela pode ter planetas à sua volta: anãs e gigantes vermelhas, anãs brancas (como será nosso sol daqui a 5 bilhões de anos), estrelas de nêutrons, sistemas estelares binários e até quaternários. Como no caso de uma viagem a Vega, o cientista envelheceria pouco e a terra muito, e ele seguiria vivendo num mundo muito diferente e, com certeza,  bem melhor que o mundo que ele conheceu, com gente, atributos e tecnologias humanas que ele jamais imaginou. Um outro cientista, este americano, disse que está prestes a descobrir como viajar no tempo. Ele propõe um avanço de 500 anos no futuro da terra. Para realizar esta empreitada, ele terá que viajar na velocidade próxima da luz durante 7 anos. Todo este tempo preso numa nave espacial valerá a pena. Imagem o mundo que ele encontrará! Simplesmente fantástico! Tudo mudado! Ele verá coisas que nenhum sonho poderá lhe dar. Ele se sentirá como um dinossauro comparado aos novos seres humanos. Ele pode querer ficar, ao custo de um enorme esforço de adaptação. Mas eis o paradoxo: se ele voltar, ele terá envelhecido 7 anos e a terra 500 anos! Ele encontrará o mesmo mundo do futuro que ele levou 3,5 anos para conhecer. Portanto, a opção de ficar ou de voltar é a mesma: ele estará confinado ao nosso planeta 500 anos depois de ter empreendido esta viagem. Uma viagem ao futuro não tem volta. Ele só poderia reverter esta situação se sua máquina viajasse para o passado também, mas isso parece improvável, por enquanto, porque, segundo a chamada teoria da Flecha do Tempo, este se movimenta sempre para frente, do passado para o futuro, não havendo possibilidade de regresso. A Lei da Relatividade de Einstein nos possibilita manter a questão em aberto, tanto para viagem ao futuro, quanto ao passado. Volto ao cientista americano. Não importa o que ele decida fazer, ficar no futuro de 500 anos à frente ou voltar para este mesmo futuro na viagem de retorno à terra. A experiência e as consequências serão inacreditáveis, pura magia. Existe algo mais fantástico que isso? Sim, existe! algo extraordinário, muito além da imaginação de deus, que torna a utopia realizável, algo corriqueiro. Vocês não precisam de nenhuma máquina. Não precisam passar pelas agruras de anos enclausurados dentro de qualquer aparato, sem ter o que fazer. Basta entrar em estado de Hibernação Consciente, a HC, diferente da Hibernação Artificial, a HA, que bloqueia e congela tudo, as funções vitais e a consciência, de tal forma que cessam os pensamentos e não é possível nem mesmo sonhar. No caso da HC, o corpo é congelado e anestesiado, mas a consciência permanece em funcionamento. Vocês continuam pensando o tempo todo. E como vocês devem saber, os pensamentos e tudo que eles vislumbram tornam-se muito mais aguçados quando a consciência se desvencilha do corpo, projetando-se para fora do cérebro. A clareza dos pensamentos pode ser comparada à diferença entre uma antiga TV de tubo em preto e branco e uma TV HD de LED. E o que acontece enquanto vocês estão em HC? Primeiro vou dar uma explicação do ponto de vista temporal. Estar em HC não vai torná-los imortais. Todos nós morreremos um dia, por enquanto. O que o HC proporciona é uma vida até 10 vezes mais longa que a normal. Em HC, o tempo também anda mais devagar, como na Teoria da Relatividade de Einstein, mas pode lhes parecer paradoxal: o corpo físico em HC vive muito menos que os pensamentos separados da massa encefálica, e para quem não sabe, o pensamento viaja a um velocidade infinitamente superior à velocidade da luz. Eis alguns exemplos bem simples. No nível mais baixo, o Nível 1, vocês permanecem em HC por apenas 14 minutos, mas seus pensamentos criam uma vida real em outra dimensão durante 1 semana. No Nível 2, vocês hibernam durante 15 dias, e vivem em pensamento por seis meses. O nível 3 é bem mais audacioso: vocês são colocados em HC durante quase um ano, 304 dias para ser mais preciso, e suas mentes criam vidas reais paralelas que duram 10 anos. O nível 4 não pode ser aplicado a humanos, por enquanto. Vocês teriam que ficar inertes durante 167 anos para viverem em pensamento por mais de 2 mil anos. Então vocês devem procurar um nível intermediário entre o 3 e o 4. Supondo que aquele cientista alemão do projeto Vega seja novo, com uns 20 anos no máximo, e imaginando que ele pudesse viver até os 90 anos, uma idade bem factível no  estado de hibernação, ele poderia permanecer em HC durante 70 anos e gozar de um vida em pensamento, tão real quanto à que vivemos no estado físico, por 844 anos! E o que ocorre do ponto de vista existencial? Vocês tornam verdadeira uma frase encontrada na mitologia cristã: VÓS SOIS DEUSES. Vocês criam seus próprios mundos, suas estrelas, planetas, flora e fauna, rios, lagos, montanhas, mares e praias paradisíacas, cidades, edificações, logradouros públicos e qualquer coisa que lhes venham à mente. Imaginem tudo que existe de belo em nosso planeta e multiplique isso por quatrilhões de vezes. Vocês podem povoar suas cidades com pessoas conhecidas e desconhecidas, vivas ou mortas, parentes, amigos e inimigos. É claro que eles são apenas projeções de vossas mentes, mas em vossos mundos todos eles têm corpos físicos, conversam com vocês, interagem da maneira que vocês desejarem. Vocês os comandam, comandam tudo, assim como podem também conceder livre arbítrio para todos eles, dar a eles veículos, habitações, roupas, empregos, coisas mundanas e inimagináveis. Ninguém pode machucar vocês, a menos que vocês queiram. Tudo é criado apenas com vossos pensamentos, mas vocês têm corpos, podem se tocar, sentir fome e sede Se vocês estão com vontade de comer massa, num instante vocês criam um restaurante italiano que serve um vinho do tempo dos Beneditinos. Podem criar supermercados com todos alimentos que existem na terra e em outros planetas habitados. Nada pode atingir vocês. Nunca terão doenças, nunca precisarão trabalhar ou ter dinheiro. Para que se tudo que vos apraz pode ser criado só com a mente? Vocês podem se acidentar e sentirem dor somente se vocês se descuidarem de propósito só para relembrarem o que é o sofrimento esquecido na terra. Exemplo: vocês pisam em falso, ou tropeçam, escorregam, caem e quebram as pernas. Num instante vocês criam um hospital de primeiro mundo que troca suas pernas em frações de segundos. Aliás, vocês nem precisam de hospitais. Podem trocar as pernas quebradas por novas apenas com o pensamento. Ninguém consegue agredir ou matar vocês, a menos que vocês queiram e induzam pessoas a vos violentar. Se vocês morrem deste lado da vida, seus corpos físicos em HC despertam, como acordar de uma sonho. Para voltar para cá basta entrar em HC novamente. Se seus corpos físicos em HC morrem, algo muito difícil, seus pensamentos cessam, suas vidas aqui acabam. Em outras palavras, vocês morrem como todo nós morremos, por enquanto. Se qualquer coisa que vocês criaram tornarem-se monótonas, vocês podem modificá-las como e quando quiserem. Podem transformar um mar em deserto, um jardim numa floresta, rios em chuvas torrenciais, altos prédios em choupanas, pessoas em animas e vice-versa. Quando digo que vocês podem fazer de Deus uma simples marionete, não estou querendo ofender vossas crenças religiosas. Vocês podem romper todas as leis da física e do universo como as conhecemos. Podem eliminar a gravidade e por tudo a flutuar. Com ou sem gravidade, vocês podem voar como pássaros, podem fazer o teto do céu noturno descer a 1 km da superfície de modo que as estrelas iluminem os poros de suas peles sem cegá-los, podem fazer chover de baixo para cima, fazer animais falarem como humanos, dobrar ruas e avenidas no sentido vertical e mais um vez no sentido horizontal para caminhar de ponta cabeça, podem iluminar os recintos de todas as habitações com arco-íris e auroras boreais. Se a salinidade dos mares não vos agrada, vocês podem fazer o sal desparecer, a densidade da água continua a mesma, vocês não afundam, e mesmo que afundassem, podem nadar por horas e dias debaixo da água como peixes, sem equipamentos de mergulho e tubos de oxigênio. Não existem limites para nada, e estou falando aqui somente das possibilidades que vocês possam conceber, mesmo que lhes parecem utópicas. Há outros milagres aqui que nem posso vos descrever, porque estão astronomicamente além de vossa compreensão. Há pessoas que descobriram este lado da vida e aqui criam seus mundos e vivem até cerca de 900 anos. Mesmo jovens casais, com filhos pequenos, estão vindo para cá. Isso mesmo, vocês não precisam vir sozinhos. Podem trazer suas famílias colocadas no estado HC. Pensem bem: todos nós vamos morrer. Chegar aos 90 anos ou mais na terra é um privilégio de poucos. Em estado HC, chegar aos 100 anos de idade é algo quase 100% certo. Vocês só morrem em estado HC se tiverem nascido com alguma doença congênita. Enquanto vocês estão no estado HC vocês não adoecem nunca. Se vamos morrer de um jeito ou de outro, por que dar duro no trabalho para sustentar uma família, se estafar, ser escravo do dinheiro, pagar contas, ser roubado por criminosos e governos, sofrer com as mazelas de nosso mundo, ver dois terços da população mundial vivendo na miséria, enfim, levar uma vida árdua e estressante que pode vos levar a uma morte prematura, um AVC ou enfarto, um câncer de mama ou de próstata. Deste lado da vida vocês são os senhorios e as pessoas que vocês criam não são, necessariamente, vossos escravos, mas ao contrário, complementações de vossa felicidade. E antes que eu esqueça, vocês podem fazer amor com homens e mulheres criados por vocês e ter orgasmos. Vocês podem engravidar e ter bebês, e se vocês não quiserem as crianças vocês podem simplesmente eliminá-las. Não se preocupem, vocês não estão matando seres humanos, mas apenas apagando projeções de vossas mentes. E então, o que vos parece? O que é melhor: viver no máximo uns 100 anos no sofrimento e na dor ou quase mil anos num paraíso? Tudo o que estou lhes dizendo já vem acontecendo a um bom tempo. A vida do lado de cá evoluiu muito. O estado HC foi aprimorado e passou a ser chamado VCC (Vida Congelada Consciente). Certamente todos vocês sabem que há muitas pessoas que pedem para congelar seus corpos quando elas morrerem, na esperança de serem ressuscitadas quando no futuro forem descobertas curas para as doenças que as levaram à morte, soluções para tudo o que levem os seres humanos à imortalidade. Elas fazem isso não para conhecer o futuro, mas apenas para tornarem-se imortais. A VCC já faz isso, mas com pessoas vivas. Elas podem permanecer em estado VCC por milhares de anos e, consequentemente, viver em pensamento por bilhões de anos. Ainda não foi possível conquistar a imortalidade do corpo físico, mas já se alcançou a imortalidade do pensamento. Vocês dirão que isto é contraditório, porque uma vez que a VCC não garante a imortalidade do corpo, então não se pode alcançar a imortalidade dos pensamentos, porque eles só podem emanar de corpos vivos, de consciências desprendidas de cérebros vivos. Além disso, vocês diriam, é impossível manter seres vivos eternamente no estado VCC, porque seria o mesmo que vencer a morte. Mas este é um segredo revelado somente àqueles que conseguem chegar a este lado da vida. nós já derrotamos a morte! Estão completamente enganados aqueles que possam pensar que escrevi este texto inspirada no filme ORIGEM. Fui eu quem produziu este filme, inspirada na vida que levo aqui, e o meu filme limita-se a reproduzir nossas imaginações antes de eu conhecer este lado da vida. Agora, enquanto espero por vocês, tamanha é minha alegria por anunciar essas boas novas que não resisto à tentação de recorrer, mais uma vez, aos nossos antigos floreios: calo a paz como um sigilo pelo que sinto aqui, De suprema felicidade, ele é o silêncio e a prece que a alma pede durante meus eternos dias, enquanto aí onde vocês se encontram, numa vida ainda sofrível, à noite, lírio branco, os astros guardam segredos, dos beijos dados pelos namorados a medo e efêmero contentamento..

segunda-feira, 3 de abril de 2017

EX UMBRIS

Texto de autoria de Alceu Natali com direito autoral protegido pela Lei 9610/98. LEIA O TEXTO AO SOM DA MÚSICA DO VÍDEO POSTADO NO FIM. Sem ela, a vida seria um erro (Friedrich Nietzsche)


saudade do quê, meu amor? você é a ressonância de muxoxos de estalar no céu da boca, que, embalando meu renascimento, nos segue por toda a vida, e um por um, Na verdade, Você pôs fim a todas as minhas afinidades, sem mostra especial de lástima, ao tempo de meu verbado asco, que, rapidamente, faz retirar de minha cabeça uma mão que poderia abençoar, por sentir um frio repugnante por dentro, como se sente por um homem dado por indesejável, mas você cede somente ao calor, que me agasalha por fora, e em poucos anos de uma única existência, você levou todas eles, todos aqueles tristes ais pelos quais não choro mais, à última morada, deixou os mortos enterrarem seus mortos, que os vivos vivam somente pelos vivos! que bebam perfumes, nas flores silvestres, que embalsam os ares, para mim você é uma só luz em minha vida, um dilúvio de luz caindo das montanhas, dia de anos, sol que não parte, mulher que resgata um homem andando infinitas distâncias em sombras, dentro em seus pensamentos, o traz ao brilho das estrelas, agradecido em sorrisos e quase em prantos, que não precisa mais procurar pela noite deserta.