segunda-feira, 3 de abril de 2017

EX UMBRIS

Texto de autoria de Alceu Natali com direito autoral protegido pela Lei 9610/98. LEIA O TEXTO AO SOM DA MÚSICA DO VÍDEO POSTADO NO FIM. Sem ela, a vida seria um erro (Friedrich Nietzsche)


saudade do quê, meu amor? você é a ressonância de muxoxos de estalar no céu da boca, que, embalando meu renascimento, nos segue por toda a vida, e um por um, Na verdade, Você pôs fim a todas as minhas afinidades, sem mostra especial de lástima, ao tempo de meu verbado asco, que, rapidamente, faz retirar de minha cabeça uma mão que poderia abençoar, por sentir um frio repugnante por dentro, como se sente por um homem dado por indesejável, mas você cede somente ao calor, que me agasalha por fora, e em poucos anos de uma única existência, você levou todas eles, todos aqueles tristes ais pelos quais não choro mais, à última morada, deixou os mortos enterrarem seus mortos, que os vivos vivam somente pelos vivos! que bebam perfumes, nas flores silvestres, que embalsam os ares, para mim você é uma só luz em minha vida, um dilúvio de luz caindo das montanhas, dia de anos, sol que não parte, mulher que resgata um homem andando infinitas distâncias em sombras, dentro em seus pensamentos, o traz ao brilho das estrelas, agradecido em sorrisos e quase em prantos, que não precisa mais procurar pela noite deserta.